sábado, 13 de novembro de 2010

Biografia de Toquinho reúne histórias de grandes nomes da MPB

1 comentários
O violonista Toquinho começou sua carreira muito cedo. Batizado Antonio Pecci Filho, recebeu o apelido que viraria nome artístico da mãe, que o chamava de "toquinho de gente". No início da adolescência, aos 14 anos, recebia aulas de Paulinho Nogueira, seu principal mestre.
Neste início de parceria com o violão, Baden Powel --com quem viria a gravar futuramente, foi essencial ao músico. Conquistado pelo estilo, motivou-se a encontrar a própria identidade musical. Aos poucos, apresentava-se em clubes e festas e, ainda novo, chegou ao grupo que moldou a MPB nos anos 1960.

Foi na adolescência que tocou pela primeira vez com Elis Regina, Zimbo Trio, Marcos Valle, Bossa Jazz Trio, Taiguara, Ivete, Tuca, Geraldo Cunha, Chico Buarque, entre outros. O principal local de apresentação destes artistas era o Teatro Paramount, em eventos organizados pelo radialista Walter Silva.

"Histórias de Canções: Toquinho", escrito por João Carlos Pecci e Wagner Homem, abrange desde este início de carreira até os dias de hoje, com o nome consolidado na história. A coleção já biografou outro grande nome da MPB e amigo pessoal de Toquinho, Chico Buarque.

Os dois se conheceram quando o violonista tinha apenas 17 anos e compuseram juntos a canção "Lua Cheia". Eles passaram seis meses na Itália, fazendo um total de 45 shows por todo o país. Ao regressar, no início da década de 1970, gravou seu segundo LP e obteve seu primeiro sucesso, "Que Maravilha", em parceria com Jorge BenJor.

O encontro que geraria mais frutos e duraria 11 anos, aconteceu em junho de 1970. O poeta Vinicius de Morais o convidou para tocar em alguns shows. A oportunidade surgiu graças a uma homenagem, na qual musicou textos de Vinicius, gravada por Toquinho na Itália.

A parceria, além de duradoura, rendeu em torno de 120 canções, LPs no Brasil e no exterior estimados em 25, além de mais de mil shows feitos em território nacional, na Europa e América Latina.

Fonte: Folha/Livraria da Folha

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Não estamos mudando de estilo, diz guitarrista do NX Zero sobre novo disco com influências de hip-hop

0 comentários

O novo trabalho do NX Zero, "Projeto Paralelo", será lançado em novembro, mas um primeiro clipe poderá ser assistido a partir de quinta-feira (28). A banda vai lançar com exclusividade no UOL o vídeo da nova versão de "Só Rezo", sucesso de 2009 do grupo que ganhou releitura influenciada pelo hip-hop e versos cantados pelo rapper Emicida.

O álbum, com produção de Rick Bonadio, vai trazer quatro músicas inéditas e dez faixas regravadas com nova roupagem e rappers dividindo os vocais com Di Ferrero. No disco, participam entre os brasileiros Chorão, Emicida, Rincon Sapiência, Rappin Hood, Kamau, Gabriel O Pensador e Negra Li. Entre os convidados estrangeiros estão Smoke Thugs, Aggro Santos, Freddy Gibbs, Kurupt (The Dog Pound) e Yo Yo, além de DJ King e outros nos scratches.

"Não estamos mudando de estilo, mas é bom se renovar", garantiu o guitarrista Gee Rocha ao UOL Música, por telefone. Na conversa, o músico adiantou como serão os novos shows da turnê e falou sobre o início do projeto, os convidados e a reação dos fãs com a novidade.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Beyoncé está grávida de primeiro filho, diz revista

0 comentários

A cantora Beyoncé e seu marido, o rapper Jay-Z, estão esperando o primeiro filho do casal, disse a revista US Weekly nesta quarta-feira.

Beyoncé, de 29 anos, ficou surpresa ao saber que está no primeiro trimestre de gravidez. Ela gostaria de terminar outro álbum, mas ficou contente com a notícia, de acordo com a revista norte-americana.

Um dos casais mais famosos e mais ricos do mundo da música, Beyoncé e Jay-Z, de 40 anos, cujo nome real é Shawn Carter, se casaram em uma cerimônia discreta em Nova York em 2008.

O rapper vai lançar um livro de memórias em novembro, enquanto Beyoncé completou este ano uma turnê mundial para promover seu álbum de 2008 "I am... Sasha Fierce".

Um representante do casal não foi encontrado para comentar a notícia.

Fonte: UOL Música

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

FBI apreende impressões digitais de John Lennon que iam a leilão

0 comentários

Uma série de impressões digitais de John Lennon que seria leiloada por ao menos 100 mil dólares foi apreendida pelo Bureau Federal de Investigação dos Estados Unidos (FBI) na quarta-feira - 30 anos após a morte do cantor.

O formulário de inscrição de Lennon para obter a cidadania norte-americana, datado de 1976, era um dos destaques dos cerca de 850 itens da venda online programada para ocorrer perto do aniversário de 70 anos de Lennon no sábado.

O cartão com as impressões digitais estava sendo mostrado para a imprensa em uma loja de Nova York na manhã de quarta-feira, numa apresentação prévia de mais de 90 itens relacionados aos Beatles, quando o FBI apresentou uma intimação e levou o cartão.

John Lennon nasceu em Liverpool, na Inglaterra, e foi investigado pelo FBI no começo dos anos 1970 por atividade antiguerra.

Peter Siegel, cofundador da loja GOTTA HAVE IT!, que estava vendendo o cartão com as impressões digitais, afirmou estar desnorteado pela ação do FBI e pelo interesse durante a semana da Segurança Interna.

"Esse grande ícone está morto há 30 anos," afirmou ele. "Isso não é uma ameaça nacional."

O cartão foi consignado à loja por um promoter bastante conhecido que o comprou há cerca de 20 anos, afirmou Siegel.

Na descoberta durante a semana, Siegel afirmou que o FBI, "com um senso de urgência", estava preocupado com a possibilidade de o cartão ter sido parte do arquivo de Lennon e estar perdido ou desaparecido.

"Estamos investigando como o item acabou parando numa coleção particular", disse o porta-voz do FBI, James Margolin. "Aparentemente ele é um documento do governo e normalmente não estaria no comércio."

O advogado de Lennon nos anos 1970 Leon Wildes contou ao jornal The New York Times que o formulário com impressões digitais estava entre os documentos sob sua posse que desapareceram após uma aparição na televisão em 1976.

Fonte: UOL Música

sábado, 14 de agosto de 2010

Kiss e BB King participarão de disco em homenagem a Paul McCartney

1 comentários
Paul McCartney será alvo de um disco homenagem no qual participarão artistas como Billy Joel, B.B. King, Garth Brooks, Paul Rodgers e Kiss, segundo informou a última banda em sua página na rede social Facebook.

Não se sabe o nome do álbum, a data de lançamento e quais músicas serão incluídas; no entanto, Kiss confirmou que escolheu o tema "Venus and Mars/Rockshow" para homenagear o músico britânico.

"Consideramos uma honra sermos convidados para participar dessa homenagem a um dos cantores de maior influência, sem mencionar que era um expoente na melhor banda de todos os tempos: The Beatles", declararam os membros do Kiss, pelo Facebook.

Um site indica que o grupo liderado por Gene Simmons e Paul Stanley já está no estúdio, em Los Angeles, na Califórnia, gravando sua versão da melodia.

Tanscrito da Folha/Ilustrada

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Disco inédito no Brasil revive auge de Wilson Simonal

0 comentários
Um disco de Wilson Simonal lançado pela EMI mexicana e inédito no Brasil ganha sua primeira edição em CD. México 70 aproveitava a presença do cantor durante a Copa do Mundo no país, quando a temporada de três meses cantando em uma boate local reunia pessoas de todo mundo.

O disco estava perdido. Quando os músicos Wilson Simoninha e Max de Castro, filhos do cantor, reuniram toda sua discografia na gravadora Odeon em um box, esse trabalho ficou de fora. O esquecimento foi acusado por um fã de Simonal que escreveu aos músicos perguntando sobre o disco. Simoninha e Max não conheciam o trabalho, mas pesquisaram os arquivos da gravadora, consultaram registros de estúdio e descobriram o disco que permaneceu quarenta anos esquecido. A efervescência da carreira de Simonal acabou deixando o trabalho restrito apenas ao lançamento mexicano.

No clima dos mundiais, Simonal abre o disco com Aqui é o país do futebol, cheio de suingue e gírias que chegou a ser lançada em compacto no Brasil. Mas o repertório não segue o assunto. Passam sucessos brasileiros e americanos além de uma música italiana. Simonal apresenta uma seleção bem eclética, desde uma surpreendente Ave Maria no morro bem ao seu estilo até o clássico Benjor Que pena. Os arranjos são de César Camargo Mariano e acompanhamento de seu elegante Som Três.

Simonal também recria com suingue a bossa mundial Garota de Ipanema e a valsa Eu sonhei que tu estavas tão linda pronta para o baile. Ao lado dos clássicos brasileiros, esbanja voz e estilo em Raindrops keep fallin' on my head e em um medley hippie que junta Aquarius e Let the sunshine in. A turma da malandragem aparece na história de Kiki, composição do próprio Simonal com Nonato Buzar.

O disco registra Simonal em seu auge, não só comercial mas também artístico. Um ano antes havia protagonizado a célebre cena em que regia a platéia de 15 mil pessoas do IV Festival Internacional da Canção no Maracanãzinho. Já em 70 vinha de uma apresentação de muito sucesso no Midem da França e de uma versão em italiano para País tropical. Depois da temporada no México era a vez de cantar com Sarah Vaughan em São Paulo.

O escândalo que acabaria com sua carreira aconteceria apenas dois anos depois. México 70 aparece, então, como um capítulo desconhecido dessa fase áurea em que Wilson Simonal foi um ídolo da música e do entretenimento.


Fonte: Ziriguidum

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Bon Jovi faz show em São Paulo no dia 6 de outubro

0 comentários
A produtora Time 4 Fun confirmou nesta segunda-feira (12) que o Bon Jovi fará show em São Paulo, no estádio do Morumbi, no dia 6 de outubro.

Ainda não foram divulgados os preços dos ingressos e o início das vendas. De acordo com a produtora, haverá pré-venda para clientes Credicard, Citibank e Diners.

O grupo liderado por Jon Bon Jovi volta ao país após 15 anos para mostrar a turnê "The Circle Tour", que promove o disco "Circle", de 2009.

Fonte: UOL Música

O baú de Alcione: Compilação reúne gravações raras e inéditas

0 comentários
Pérolas raras e inéditas de Alcione são reveladas no valiosíssimo CD O samba raro de Alcione - Sabiá marrom. Produção pilotada por Rodrigo Faour e lançada pela Universal Music, o disco revira o baú da gravadora e revela sobras de estúdio, participações e faixas lançadas apenas em compactos ou álbuns coletivos.

A compilação traz músicas gravadas entre 1972 e 1981. Os três primeiros anos flagram uma cantora ainda sem rótulos. Alcione vinha diplomada pela variada escola da noite. Roberto Menescal, então diretor artístico da gravadora Philips/Phonogram, já enxergava em Alcione a grande sambista. Mas a cantora, acostumada a fluir bem em vários estilos, pode surpreender até mesmo cantando Planos de papel, bossa de Raul Seixas para a trilha sonora da novela O Rebu, de 1974. Que casa bem com o samba-canção Linda flor (Ai, Ioiô), do LP Máximo de sucessos nº 11, do mesmo ano.

De seu primeiro compacto, editado em 1972 para testar a nova artista, aparecem O sonho acabou, composição de Gilberto Gil lançada naquele mesmo, e Liga de guiné, parceria de Reginaldo Bessa com o então também estreante Nei Lopes. De outro compacto, três anos mais tarde, Alcione aparece já mais próxima do universo que a consagrou cantando Os melhores sambas enredo de 1975 com músicas defendidas naquele ano por escolas como Salgueiro, Mangueira, Padre Miguel e São Carlos. Um terceiro compacto, lançado no mercado latino em 1980, traz versões em espanhol para O surdo e o grande sucesso Sufoco.

O CD tem três gravações inéditas. Homenagem do compositor francês Paul Mauriat para a cantora, Sabiá marrom ganhou letra em português de Totonho e Paulinho Rezende. Foi gravada por Alcione em 1979, mas acabou não entrando no LP daquele ano e aqui abre o CD. Também inéditas são Pôr do sol (1980) e a impagável Não suje o meu caixão (1975).

No final do álbum aparecem duetos de Alcione. O delicioso encontro com João Nogueira em 1981 traz o sucesso de Noel Rosa De babado, com direito a divertido caco da dupla na letra. Três anos antes Alcione dividia com Chico Buarque O casamento dos pequenos burgueses, tema da Ópera do Malandro. Em 1980 foi a vez de cantar com Leci Brandão em Fim de festa, parceria de Leci com Rosinha de Valença.

Além de trazer ao público gravações inéditas e esquecidas, o encarte traz minuciosa pesquisa de Faour, com texto explicativo, referências e até mesmo capas e selos dos discos em que foram lançadas as músicas. Revelando a pré historia e os primeiros anos de sucesso da sambista, o CD valoriza Alcione como grande cantora. Não só de sambas - como é normalmente lembrada de forma reduzida - mas do que quiser e bem entender.

Fonte: Ziriguidum

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Emílio Santiago comemora 40 anos de carreira com show de novo disco

0 comentários
O cantor Emílio Santiago celebra seus 40 anos de carreira com show de seu novo álbum, "Só Danço Samba", no palco do Citibank Hall, na zona sul de São Paulo, na próxima sexta-feira (9) e no sábado (10).

O disco, produzido por José Milton, homenageia o organista e arranjador Ed Lincoln, "O Rei dos Bailes", e mostra músicas dançantes como "Só Danço Samba", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, que dá nome ao CD; "Samba de Verão", de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle; e "Olhou pra Mim", composição de Ed Lincoln e Sílvio César.

No repertório do show, o intérprete inclui sucessos como "Logo Agora", "Cadê Juízo", "Lesões Corporais", "Verdade Chinesa" e "Saigon".

Fonte: Folha./Guia

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Rita Lee regrava sucesso para nova novela das 7 da Globo

0 comentários

Rita Lee regrava um grande sucesso da década de 80. A faxia será tema de abertura da próxima novela das sete da REde Globo. A música Ti Ti Ti, composição de Rita e Roberto Carvalho foi lançada no LP Saúde, em 1981. Em 1981, numa releitura do grupo Metrô ela foi tema de abertura da novela de mesmo nome da Rede Globo.
Essa nova versão na voz de Rita Lee entra no ar no próximo dia 19, na novela da Globo.
Ouça aqui a nova versão que também toca na FM Princesa do Sol:



terça-feira, 29 de junho de 2010

Peter Frampton fará cinco shows no Brasil em setembro; ingressos para SP já estão à venda

0 comentários

Um dos grandes nomes do rock nos anos 70, Peter Frampton vem ao Brasil em setembro para cinco shows. O cantor dos sucessos "Breaking All The Rules" e "Show Me The Way" começará sua turnê em Brasília no dia 9 (Centro de Convenções) e passará pelo Rio de Janeiro no dia 11 (HSBC Arena), Porto Alegre no dia 14 (Pepsi On Stage), São Paulo no dia 17 (Via Funchal) e Belo Horizonte no dia 18 (Chevrolet Hall).

Os ingressos para o show de São Paulo já estão à venda e custam R$ 140 (pista), 200 (mezanino) e R$ 300 (pista premium e camarote). Hà meia-entrada para todos os setores, mas este é vendido apenas na bilheteria da casa. As demais entradas podem ser compradas pelo telefone 0/xx/11/2144-5444 e em breve pelo site www.viafunchal.com.br. O valor dos ingressos para os demais shows e a datas de vendas ainda não foram divulgados.

O ex-integrante do Humble Pie (banda que formou com Steve Marriott, do Small Faces) lançou no início deste ano o disco "Thank You Mr. Churchill", que segundo ele pode ser considerado autobiográfico. Nascido na Grã-Bretanha, o guitarrista de 60 anos tornou-se cidadão norte-americano após os ataques de 2001 e atualmente vive em Cincinnati com sua terceira mulher, Tina. Ele diz que a prova do que declara está no novo disco, que o traz em clima introspectivo e nostálgico.

Fonte: UOL Música



"Twitta Raul" marca aniversário de 65 anos de Raul Seixas

0 comentários
Raul Seixas, o maior ícone do rock brasileiro, completaria 65 anos nesta segunda (28) se estivesse vivo.

A maior prova de que o mito de Raul continua firme e forte é que, em pleno dia de jogo do Brasil, o nome do músico chegou a ficar em segundo lugar nos Trending Topics Brasil do Twitter (a lista de assuntos mais comentados do site de microblogs).

Raul Seixas nasceu do dia 28 de junho de 1945, em Salvador, Bahia. No fim dos anos 60, formou a banda Raulzito e Seus Panteras, com quem começou sua longa carreira de sucesso. Suas grandes inspirações eram Luis Gonzaga e, principalmente, Elvis Presley.

Nos anos 70, especialmente depois do álbum Gita, Raul virou superstar nacional. O músico se tornou o símbolo maior da contracultura nacional (graças a hinos como Maluco Beleza e Sociedade Alternativa, tributo à entidade anarquista que ele e o parceiro Paulo Coelho fundaram), um Deus para a geração hippie e um incômodo para a parcela mais conservadora da sociedade brasileira.

Na mira da ditadura militar, Raul foi censurado, preso e acabou exilado nos Estados Unidos, ao lado de Paulo Coelho. Mas ninguém segurava o fenômeno Raul: em 1974, ele e Paulo já estavam de volta ao país. A partir daí, Raul teve mais hits, ganhou discos de ouro e participou de trilhas de novela.

Na década de 80, os efeitos de anos de consumo exagerado de álcool e drogas se faziam sentir. Sua carreira se tornou instável. Mesmo assim, teve um dos maiores hits de sua carreira com Plunct Plact Zum. A ironia é que a música não só era infantil como foi gravada para um programa do maior agente do "sistema", a Rede Globo.

O maluco beleza morreu em 21 de agosto de 1989, dois dias depois de lançar o álbum A Panela do Diabo, de parada cardiorrespiratória provocada por pancreatite crônica e hipoglicemia.

Este ano, a gravadora Universal lançou a caixa 10.000 Anos À Frente, contendo seis álbuns do cantor, sendo que dois com músicas inéditas.

Fonte: Virgula. Clique e veja o clipe de Gita

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Argentina lembra os 75 anos da morte de Carlos Gardel

0 comentários

O tango argentino lembra hoje o mito de Carlos Gardel, morto em um acidente aéreo na cidade colombiana de Medellín há 75 anos quando o "Zorzal Crioulo" realizava uma longa viagem pela América Latina.

Os seguidores de "El mago", que com sua voz levou o tango dos arredores de Buenos Aires a Paris, Nova York e o resto do mundo, voltarão a desfilar na quinta-feira com suas oferendas em frente ao túmulo do artista no cemitério portenho de Chacarita, onde o cantor descansa desde 1936.

O Museu de Gardel, situado em uma casa no bairro de Abasto onde o artista viveu com sua mãe, Berta Gardés, será, além disso, palco de um recital de tangos, uma prévia de uma exposição sobre a morte do artista, ocorrida no dia 24 de junho de 1935.

A comemoração será "austera" devido à paixão dos argentinos pelo futebol, comentou o presidente do Centro de Estudos Gardelianos, Enrique Espina Rawson, ao explicar à Agência Efe que o grosso das homenagens ao artista foram adiadas para depois da Copa da África do Sul.

Apaixonado por futebol
"Carlitos, que foi torcedor fanático do Racing Club, teria concordado e seguramente estaria tão entusiasmado como o resto dos argentinos com o bom desempenho da seleção na Copa", assegura.

Este ano o nascimento do artista, no dia 11 de dezembro de 1890 em Toulouse (França), também completa 120 anos. Por isso a partir de julho começa uma série de atos em homenagem ao "Moreno do Abasto".

O mausoléu de Gardel, que inclui uma estátua do artista à qual os amantes do tango costumam colocar um cigarro aceso, está adornado com flores e oferendas de todo tipo e é visitado por turistas de todo o mundo.

"O mito e a lenda de Carlitos seguem vivos", ressalta Rawson.

O cantor deixou como legado mil gravações fonográficas e mais de 20 filmes e musicais, além de ter sido pioneiro no tango canção e nos vídeos musicais.

Gardel foi ator e produtor cinematográfico, mas "a cada dia canta melhor", segundo o chavão que acompanha seu mito. Além disso, era conhecido por sua fama de galã, suas peripécias românticas e seu gosto pelas corridas de cavalos.

"Vou ver a minha velha mãe em breve. Não sei se voltarei, porque o homem propõe e Deus dispõe. Mas é tal o encantamento desta terra que me recebeu e me despede, por assim dizer, filho próprio, que não posso dizer-lhes adeus, mas até mais ver", disse o "Zorzal Crioulo" um dia antes de sua morte nos microfones da rádio La Voz de la Víctor em Bogotá.

Gardel cantou o tango "Tomo y obligo" pela última vez na varanda da sede da emissora para uma multidão que o aclamava.

No dia 24 de junho de 1935, o avião que o levava de Medellín à também colombiana Cali bateu quando decolava em outro estacionado ao lado da pista, o que causou uma explosão que matou 12 dos 15 tripulantes das duas aeronaves.

Tragédia
A tragédia, presenciada por milhares de pessoas que tinham ido ao aeroporto para se despedir de Gardel, interrompeu uma viagem iniciada em Porto Rico e na Venezuela e que devia seguir para o Panamá, Cuba e México para depois retornar a Buenos Aires.

Houve quem dissesse que Ernesto Samper Mendoza, o piloto do avião, estava furioso depois de uma discussão com o artista, que acusava de ter-lhe roubado a namorada, fato que nunca pôde ser comprovado.

Também houve os que disseram que a tragédia foi consequência de uma "guerra" entre as duas companhias que então disputavam o incipiente mercado aeronáutico colombiano.

Mas o relatório oficial afirma que o acidente aconteceu devido aos desníveis na pista do aeroporto e a um vento transversal que impediram Samper de evitar a batida com o outro avião, estacionado perto demais da área de decolagem.

O caixão de Gardel foi acompanhado por um longo cortejo fúnebre até o cemitério de San Pedro em Medellín, onde permaneceu até o fim de 1935, quando começou uma penosa viagem por vários países que terminou no cemitério portenho de Chacarita, no dia 6 de fevereiro 1936 (por Alejandro Méndez).

Fonte: UOL Música

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Skank faz show de três horas no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte para gravação de seu CD/DVD ao vivo

0 comentários
Nunca a relação entre o Skank e o futebol foi tão íntima. Na noite de 19 de junho, véspera do segundo jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo 2010, todos os anos em que a banda vestiu camisetas de clubes no palco, participou de torneios organizados por emissoras de televisão e se tornou referência para quem gosta das duas artes - música e futebol - fizeram sentido. Ao subir no palco armado no estádio do Mineirão para o show que marcaria a gravação de seu CD/DVD "Multishow ao Vivo - Skank no Mineirão", Samuel Rosa (voz e guitarra), Henrique Portugal (teclados), Haroldo Ferretti (bateria) e Lelo Zaneti (baixo) devem ter sentido que a execução de "Uma Partida de Futebol" naquela noite seria especial e emocionante. "Nada em nossa carreira é comparável ao que está acontecendo aqui nesta noite", diria Samuel mais tarde, para definir o momento.

Fonte: UOL Música ------> leia mais

sábado, 19 de junho de 2010

“Pedras que cantam” – Rosa de Pedra

0 comentários
As meninas do grupo Rosa de Pedra, de Natal/RN, incorporam as pedras que cantam de Dominguinhos no palco do Som Brasil. O talento potiguar brilhou mais uma vez na telinha da Globo. Veja:



sexta-feira, 18 de junho de 2010

Guilherme Arantes - Meu mundo e nada mais

0 comentários
Guilherme Arantes conta como foi o início da sua carreira e o telefonema que mudou a sua vida e colocou sua música na trilha da novela Anjo Mau, da Rede Globo. Assista:


quinta-feira, 17 de junho de 2010

Ex-integrante do RBD, Maite Perroni faz sete apresentações no Brasil em agosto; veja as datas

0 comentários

A cantora, dançarina e atriz Maite Perroni fará sete apresentações no Brasil no mês de agosto, entre os dias 13 e 22.

Ex-integrante do grupo RBD, a mexicana inicia sua turnê no país no dia 13, em Belo Horizonte (Music Hall), toca no dia 14 no Rio de Janeiro (Canecão) e, no dia 15, em Curitiba (Moinhos Eventos). Depois, no dia 19, Perroni se apresenta em Santos (Capital Disco) e em São Paulo (Via Funchal) no dia 20. A cantora ainda passa por Brazilândia (XIV Festival do Morango), no dia 21, e encerra a sequência de shows no dia 22, em Recife (Clube Português).

O sexteto RBD tocou no país em 2006 e 2008 e lançou seis álbuns de estúdio e sete DVDs --três deles gravados no Brasil. O grupo encerrou suas atividades no final de 2008, após fazer uma turnê de despedida que passou por seis cidades brasileiras.

MAITE PERRONI EM BELO HORIZONTE

Quando: 13/08
Onde: Music Hall (Av. Contorno, 3239, Santa Efigênia)

MAITE PERRONI NO RIO DE JANEIRO

Quando: 14/08
Onde: Canecão (Av. Venceslau Brás, 215, Botafogo)

MAITE PERRONI EM CURITIBA

Quando: 15/08
Onde: Moinhos Eventos (Rua Des. Westphalen, 4000, Rebouças)

MAITE PERRONI EM SANTOS

Quando: 19/08
Onde: Capital Disco (Av. Gen. Francisco Glicério, 206)

MAITE PERRONI EM SÃO PAULO

Quando: 20/08, a partir das 20h
Onde: Via Funchal (Rua Funchal, 65, Vila Olímpia)
Quanto: R$ 160 (pista), R$ 200 (mezanino), R$ 250 (camarote) e R$ 400 (pista premium); há meia entrada para todos os setores
Ingressos: na bilheteria da casa, pela internet, pelo telefone (11) 2144-5444 e nos pontos de venda cadastrados

MAITE PERRONI EM BRAZILÂNDIA

Quando: 21/08
Onde: XIV Festival do Morango

MAITE PERRONI EM RECIFE

Quando: 22/08
Onde: Clube Português (Av. Rosa e Silva, 172, Graças)


Fonte: UOL Música

U2 deve ter prejuízo de R$ 250 milhões por adiamento da turnê

0 comentários

O adiamento da nova fase de sua turnê pode resultar em mais de R$ 250 milhões em prejuízos ao U2. Até o momento, a banda já cancelou 16 apresentações para que o vocalista Bono se recupere de uma cirurgia na coluna e ainda não tem data para cair na estrada.

Segundo o jornal "The Sun", o quarteto tem seguro para a turnê "360º", mas ainda assim perderá dinheiro enquanto a excursão estiver parada.

De acordo com o empresário da banda, Paul McGuinness, a manutenção da turnê custa mais de R$ 1 milhão por dia, "a banda tocando ou não".

Bono, 50, foi operado às pressas na Alemanha em meados de maio depois de sofrer um acidente durante os ensaios. Sua recuperação deve durar cerca de dois meses.

Fonte: Folha.com/Ilustrada

Rosa de Pedra estará no especial Dominguinhos na Globo

0 comentários

A banda potiguar Rosa de Pedra estará no programa Som Brasil desta sexta-feira, na Rede Globo, no especial sobre o cantor Dominguinhos.  A gravação do Rosa de Pedra aconteceu no mês de março. O especial junino em homenagem a Dominguinhos será exibido a  01:30hs da manhã (depois do Programa do Jô). Além da presença do Rosa de Pedra em três músicas, o especial terá Paula Fernandes, Zizi Possi, a filha Liv Moraes, entre outros. A apresentação é Camila Pitanga. 

Na atração, Dominguinhos cantará “Xote da navegação”, “Lamento sertanejo”, “Eu só quero um xodó” e “Isso aqui tá bom demais”. Zizi Possi o homenageará com “Dedicado a você”,“Gostoso demais” e “Contrato de separação”. Paula Fernandes, cantora e compositora sertaneja de Minas Gerais, se apresentará com “De volta para meu aconchego”, “Quem me levará sou eu” e “Abri a porta”. Já o grupo potiguar Rosa de Pedra, que mistura guitarra e rabeca no som que produz, interpretará “Pedras que cantam”, “Tenho sede” e “Sete meninas”.

O Som Brasil tem direção-geral e de núcleo de Luiz Gleiser e direção de Cacá Silveira. O programa é escrito por Flávio Marinho e Rafael Dragaud, a produção musical da atração leva as assinaturas de Guto Graça Mello, PH Castanheira e Ricardo Leão e a coordenação musical é de Wagner Faria.

Nascido em 12 de fevereiro de 1941, em Guaranhuns, Pernambuco, José Domingos de Moraes era filho de um afinador e tocador de sanfonas. Aos 7 anos, já tocava pandeiro no trio de irmãos Os Três Pinguins, quando foi ouvido por Luiz Gonzaga. Foi o rei do baião quem deu a Dominguinhos sua primeira sanfona. Em 1954, já radicado em Nilópolis, subúrbio do Rio de Janeiro, formou o Trio Nordestino. Anos depois, fez dupla com Anastácia, que compôs com ele clássicos como “Eu só quero um xodó” e “Tenho sede”. Parceiro de Gilberto Gil, Nando Cordel e Chico Buarque, dentre outros ícones da música brasileira, o artista criou um estilo musical que mesclava, além do baião, do forró e do xote, melodias de jazz, choro e bossa nova.

No final de maio Dominguinhos esteve em Natal participando do projeto Forró em Debate e se apresentando no Forró da Lua, evento que ocorre mensalmente na fazenda Bonfim, organizado pelo empresário Marcos Lopes. Na ocasião Dominguinhos participou de bate-papos e especial do programa Cores e Nomes, da jornalista Margot Ferreira.

Fonte: Tribuna do Norte/Viver

quarta-feira, 16 de junho de 2010

NX Zero, Ivete Sangalo e Pitty lideram indicações do Prêmio Multishow; veja os concorrentes

0 comentários
Com oito indicações ao Prêmio Multishow 2010, o NX Zero lidera a lista dos concorrentes às estatuetas em 12 categorias. Atrás da turma de Di Ferrero está Ivete Sangalo com sete indicações e Pitty com seis. Os indicados na 17ª edição do prêmio foram anunciados na tarde desta terça-feira (15). A cerimônia está marcada para o dia 24 de agosto.

A lista traz os dez mais votados de cada categoria para que o público vote até o dia 23 de agosto, quantas vezes quiser pelo site multishow.com.br, em seu artista preferido. Segundo a produção, no primeiro minuto do dia 24 será divulgada uma lista com os cinco finalistas e, a partir daí, uma nova votação será iniciada para definir os vencedores. Será possível votar até as 19h deste dia --apenas a categoria Melhor Grupo ficará aberta, recebendo votos até o momento da entrega do prêmio.

A categoria TVZé será aberta para o público enviar seus próprios vídeos. Para participar, o internauta deve gravar um vídeo de paródia ou versão do clipe de uma música nacional lançada após março de 2009, com duração entre 30 segundos e 1 minuto. Os cinco melhores vídeos serão selecionados pelo canal e divulgados na lista final do dia 24 de agosto.

Em 2009, o Prêmio Multishow de Música Brasileira recebeu 7 milhões de votos e teve como grande homenageada da noite a cantora e compositora Rita Lee.

Veja quem são os indicados:

MELHOR MÚSICA
"As Máscaras" - Claudia Leitte
"Entreolhares (The Way You're Looking at Me)" - Ana Carolina e John Legend
"Espero a Minha Vez" - NX Zero
"Me Adora" - Pitty
"Meteoro" - Luan Santana
"Na Base do Beijo" - Ivete Sangalo
"Recomeçar" - Restart
"Shimbalaiê" - Maria Gadú
"Sutilmente" - Skank
"Voa Beija-flor" - Jorge & Mateus

MELHOR ALBUM
"Sete Chaves" - NX Zero
"Multishow Registro: Ivete Sangalo - Pode Entrar" - Ivete Sangalo
"Ao Vivo" - Luan Santana
"Maria Gadú" - Maria Gadú
"Acústico" - Detonautas
"Hiperativo" - Strike
"O Mundo é Tão Pequeno" - Jorge & Mateus
"Hori" - Hori
"The Rise and Fall of Beeshop" - Lucas Silveira
"Chiaroscuro" - Pitty

MELHOR CLIPE
"Espero a Minha Vez" - NX Zero
"Recomeçar" - Restart
"Entreolhares" - Ana Carolina e John Legend
"Segredo" - Hori
"Na Base do Beijo" - Ivete Sangalo
"A Usurpadora" - Banda Cine
"Desde Quando Você Se Foi" - Fresno
"Me Adora" - Pitty
"Noites de Um Verão Qualquer" - Skank
"Pode Acreditar" - Marcelo D2 & Seu Jorge

MELHOR DVD
"Multishow Registro: NX Zero - Sete Chaves" - NX Zero
"Multishow Registro: Ivete Sangalo - Pode Entrar" - Ivete Sangalo
"Luan Santana ao Vivo" - Luan Santana
"Acústico" - Detonautas Roque Clube
"O Mundo é Tão Pequeno" - Jorge & Mateus
"Multishow Registro: Ana Carolina - 9 + 1" - Ana Carolina
"Do Outro Lado da Porta" - Fresno
"Chiaroscope" - Pitty
"Ao Vivo e Em Cores" - Victor e Léo
"Seu Jorge ao vivo - América Brasil, o DVD" - Seu Jorge

MELHOR CANTORA
Ana Carolina
Claudia Leitte
Ivete Sangalo
Maria Gadú
Maria Rita
Marisa Monte
Pitty
Sandy
Vanessa da Mata
Wanessa

MELHOR SHOW
NX Zero - Agora
Ivete Sangalo
Restart
Luan Santana
Fresno
Hori
Claudia Leitte
Raimundos (com Tico Santa Cruz)
Victor & Léo
Vanessa da Mata

MELHOR GRUPO
Banda Cine
Detonautas Roque Clube
Fresno
Hori
Jota Quest
NX  Zero
Restart
Skank
Strike
Titãs

MELHOR CANTOR
Caetano Veloso
Di Ferrero (NX Zero)
Dinho Ouro Preto (Capital Inicial)
Fiuk (Hori)
Lucas Silveira (Fresno)
Rogério Flausino (Jota Quest)
Samuel Rosa (Skank)
Saulo Fernandes (Banda Eva)
Tico Santa Cruz (Detonautas)
Zeca Pagodinho

REVELAÇÃO
Restart
Hevo 84
Luan Santana
Maria Gadú
Hori
Paula Fernandes
Stevens
Lu Alone
Tiê
Etna

INSTRUMENTISTA
Daniel Weksler (NXZero)
Joe (Pitty)
Gee Rocha (NX Zero)
Renato Rocha (Detonautas)
Haroldo Ferretti (Skank)
Letieres Leite (Ivete Sangalo)
Cadu (Strike)
Rodrigo Tavares (Fresno)
Xande Bispo (Hori)
Cesinha (Maria Gadú e Vanessa)

ARTISTA SERTANEJO
Cesar Menotti & Fabiano
Chitãozinho & Xororó
Fernando & Sorocaba
Hugo Pena & Gabriel
João Bosco & Vinicius
Jorge & Mateus
Luan Santana
Maria Cecília & Rodolfo
Victor & Léo
Zezé di Camargo & Luciano

EXPERIMENTE
Brasov
Cidadão Instigado
Copacabana Club
Edu Krieger
Lucas Santtana
Móveis Coloniais de Acaju
Nina Becker
Preta Gil
Replace
Stop Play Moon

Fonte: UOL Música

Primeiro CD após acidente de Dinho traz Capital Inicial em versão poderosa

0 comentários

O novo álbum do Capital Inicial pode ser classificado como "curto e grosso". Ou, talvez, "rápido e fulminante". Qualquer um desses clichês se encaixa como elogio ao trabalho, que traz um vigor incomum a uma banda com quase 30 anos.

Curto e grosso porque é um disco de pouco mais de meia hora (são 11 canções, algumas que nem ultrapassam três minutos) e som encorpado, cheio de pistas de guitarra por cima dos vocais.

Rápido e fulminante porque bastam alguns acordes para o Capital mostrar a que veio em 2010.

O primeiro disco do grupo depois do acidente com o vocalista Dinho Ouro Preto, que caiu do palco durante show no ano passado e enfrentou em seguida infecção hospitalar, chega com rock direto e baladas contundentes, do tipo que fisga o ouvinte.

É notável que uma banda de quarentões fale tão certeiro à molecada. Os shows do grupo atraem adolescentes que têm espaço no iPod tanto para o Capital quanto para Restart e Fresno.

Mas Dinho e seu velho parceiro de letras Alvin L produzem versos que, mesmo esbarrando às vezes em fúria colegial, trazem poesia bem consistente do que a predominante no "happy rock".

"Outra história/ Com outro rosto/ Outro beijo/ Com o mesmo gosto", em "Vivendo e Aprendendo". "Passamos muito tempo/ Sentados na calçada/ Falando sobre tudo/ E não dizendo nada", em "Depois da Meia-Noite". "De todos os desastres que eu podia/ Eu escolhi você", em "Não Sei Por Quê". E mais.

Dinho e Alvin não se esqueceram de como é passar noites no quarto ou pelas ruas tentando achar uma turma que acolha alguém que se sente fora do mundo.

A moldura para tanto hormônio adolescente turbinando angústia ou delírio fugitivo deve muito ao guitarrista Yves Passarell. Poucas vezes na carreira o Capital soou tão poderoso. Ele é diretamente responsável por uma urgência que percorre todo o CD, mesmo nas baladas.

Falando nelas, "Eu Quero Ser Como Você" é um grande momento do Dinho cantor, uma interpretação que renderá muitas luzinhas de celular acesas nos novos shows.

DAS KAPITAL
ARTISTA: Capital Inicial
LANÇAMENTO: Sony Music
QUANTO: R$ 26, em média
AVALIAÇÃO: ótimo

Fonte: Folha.com/Ilustrada

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Capital Inicial lança clipe de "Depois da Meia-Noite"; assista

0 comentários

Depois de estrear oficialmente a turnê do disco "Das Kapital", com um show em São Paulo, o Capital Inicial acaba de lançar o primeiro clipe do disco. O vídeo da música "Depois da Meia-Noite" está disponível no site oficial da banda.

O vídeo mostra a banda tocando dentro do rádio de um carro que é dirigido por um assaltante mascarado ao lado de uma garota, enquanto são perseguidos por policiais.

No final de maio, a banda colocou também no site oficial todas as faixas do álbum para serem ouvidas. 

O 12º disco da banda foi produzido por David Corcos, que já trabalhou com Planet Hemp e Marcelo D2. A escolha, segundo Dinho, visou dar uma sonoridade nova ao Capital, mas "sem perder a identidade do grupo". "Quero que 2010 seja diferente para o Capital. Quero mudar muita coisa e quero poder surpreender as pessoas", disse.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Em biografia, Lobão relata carreira musical e tentativas de suicídio

0 comentários

Quando completou 50 anos, em 2008, Lobão concluiu que não tinha mais futuro, que estava morto.

O cantor, compositor e "enfant terrible" da cena rock brasileira se viu afastado das gravadoras, do rádio e quase divorciado do sucesso.

Faltava uma "sacada" para divulgar sua música fora do esquema tradicional do mercado fonográfico, do qual abdicou em 1999.

Naquele ano, Lobão teve a ideia de vender seus discos em banca de jornal. Mas agora, dez anos depois, o recurso já não funcionava mais. Queria voltar ao esquema da grande indústria.

"Eu nunca disse que gravadora tinha que ser eliminada", diz. "Reclamava e lutava por melhores condições. A música precisa de dinheiro."

O músico então deixou o Rio de Janeiro, onde sempre se sentiu "um peixe fora d'água": "Nunca fui o esperto, nunca colei na prova. Estava totalmente fora do universo cultural carioca", afirma

Em São Paulo, achou que, chegado "o tempo depois do futuro", era hora de narrar o passado. Em 867 páginas, Lobão deitou suas memórias de "Cinquenta Anos a Mil". Delas fazem parte cinco tentativas de suicídio e um punhado de ressurreições pela música.

O volume de memórias deve sair até novembro pela editora Nova Fronteira. Será uma autobiografia escrita a quatro mãos.

O jornalista Claudio Tognolli se encarrega de colher depoimentos e reunir documentos judiciais. É um recurso para dar lastro a passagens da vida de Lobão que, de tão mirabolantes, tornam-se inverossímeis.

Enquanto Tognolli se debruça sobre a produção de "Cinquenta Anos a Mil", Lobão acelera os projetos musicais. As faixas do compacto já estão definidas. Serão gravadas ainda neste mês pelo produtor americano Roy Cicala, que trabalhou em álbuns de John Lennon e Jimi Hendrix e agora vive em São Paulo.

Nelas, o próprio Lobão toca --sozinho-- todos os instrumentos. "Nunca estive tão dentro da minha música como agora", diz.

Uma das canções novas é "Song for Sampa", em que declara amor eterno pela cidade que adotou aos 50 anos. "Essa é a minha cidade/ Gosto tanto de você/ Para sempre vou te amar/ Esse é o tempo depois do futuro".

A outra canção, ainda sem título, é homenagem ao compositor Júlio Barroso (da banda Gang 90), morto em 1984.

Depois de planejar o relançamento em CD dos nove LPs que gravou na RCA (atual Sony), entre 1982 e 1990, ele próprio abateu o projeto.

"Aquilo é a pior parte do meu trabalho", diz. "Então, selecionei, em três CDs, apenas as músicas que considero imprescindíveis."

Fonte: Folha Ilustrada - Foto: Carlos Cecconello/Folhapress

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Música de Katy Perry com Snoop Dogg chega ao topo das paradas

0 comentários

"California Gurls", a nova música da cantora Katy Perry, que tem participação do rapper Snoop Dogg, mal foi lançada e estará amanhã em número um na lista da revista "Billboard".

O primeiro single do novo álbum da cantora, "Teenage Dream", vai ocupar o lugar de "OMG", do rapper Usher, produzida por will.i.am

Esta é a primeira vez que Katy chega ao topo das paradas. A primeira foi com "I Kissed a Girl", em 2008, que ficou por sete semanas na lista.

Fonte: Folha/Ilustrada

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Ex-Titã Ciro Pessoa casa psicodelia e surrealismo em novo álbum

0 comentários

Em uma das paredes da sala de estar de Ciro Pessoa, 52, a primeira a ser vista por quem entra na casa pela porta da frente, ele montou uma espécie de altar suspenso.

Estão ali, emolduradas, fotografias clássicas de Janis Joplin, Pink Floyd, Raul Seixas, David Bowie, Jim Morrison, Jimmy Hendrix, Mutantes --todas elas clicadas entre as décadas de 1960 e 1970.

É justamente desse mural --e quase só dele-- que vêm as referências usadas em "Em Dia com a Rebeldia", segundo álbum solo do artista.

Pessoa ficou conhecido por sua contribuição aos Titãs em início de carreira --ele é coautor de "Sonífera Ilha", por exemplo. Também é fundador da banda Cabine C.

Seu nome está diretamente ligado, portanto, ao rock brasileiro dos anos 80. Mas nada que se ouve no disco novo vem dessa escola.
A rebeldia do título não é um quê --é um quem. Trata-se do apelido com que ele chama a mulher, a designer Carolina Vicentim, 27 anos e "completamente ligada à música dos anos 60".

Há quatro anos, fez a declaração de amor: "Vou gravar um disco pra você e você vai gostar das 12 faixas. Se não gostar de uma delas, eu não lanço". E passou os dois anos seguintes só ouvindo rock dos anos 60 e 70.

A sonoridade já estava definida: rock psicodélico. Precisava encontrar o conceito sob o qual construiria as letras. Assim: racionalmente.

"Sempre fui um artista conceitual", diz. "Zombo da franqueza e da sinceridade, acho artigos arcaicos. Comigo é 'estou indo pra lá e é lá que quero chegar'. Arte não é inspiração, é raciocínio."

Surrealismo

Influenciado por "O Dicionário de Lugares Imaginários", de Alberto Manguel e Gianni Guadalupi, escreveu "Anis", a primeira delas.

O dicionário cataloga cenários irreais em que se passam narrativas clássicas --como Macondo, lugar inventado por Gabriel García Márquez no livro "Cem Anos de Solidão", e a Terra de Oz, do filme "O Mágico de Oz".

"Anis" se passa em uma cidade assim, que flutua "na linha do horizonte, entre o céu e o mar, onde a eternidade mora e se entretém".

"Quando vi a pegada psicodélica musical interagindo com essa letra que se situa na fronteira do sonho, pensei comigo: a psicodelia quer conhecer o surrealismo _mais: quer se casar com ele."

E havia de ser o próprio Pessoa o padre e o juiz do casamento. Nasceram assim o "homem cabeça de pêssego", a "mulher ampulheta", o "sol que brilha à noite" --todas registradas no disco.

O som, ele afirma, preza pela "pureza". "Não sou tropicalista, não misturo nada. A mistura despotencializa, dilui", diz. "Como penso assim, meu procedimento alquímico é o seguinte: rock + rock = rock. E o rock é, sim, uma estética brasileira."

Fonte: Folha Online/Ilustrada

Iron Maiden anuncia novo disco para agosto

0 comentários
O Iron Maiden marcou para o dia 16 de agosto a data de lançamento de seu novo disco, The Final Frontier, o mesmo nome da turnê que apresentará o álbum por Estados Unidos, Canadá e Europa. No site da banda de heavy metal formada em 1975, não estão anunciadas datas de shows no Brasil ou em outros países da América Latina, mas foi disponibilizado o download gratuito da música El Dorado, além das ilustrações do álbum, feitas por Melvyn Grant. Neste mês e em junho, o Iron Maiden faz shows na América do Norte e divide o palco com o grupo americano de metal progressivo Dream Theater. A turnê do grupo britânico tem início hoje em Dallas. A banda trabalhou com o produtor Kevin Shirley desde o começo do ano no Compass Point Studios, em Nassau (Bahamas) e depois seguiu para Los Angeles para mixar o disco. No estúdio, a banda já tinha feito álbuns como Piece of Mind (1983), Powerslave (1984) e Somewhere In Time (1986). A banda do vocalista Bruce Dickinson já vendeu mais de 80 milhões de discos.

Fonte: Estadão

terça-feira, 8 de junho de 2010

NX Zero vai ao Complexo do Alemão filmar novo clipe

0 comentários
Já está disponível na web o novo videoclipe do NX Zero, Só Rezo.

O clipe foi quase todo gravado em um balcão localizado no bairro de Santana, na zona norte de São Paulo. Além disso, o vídeo tem cenas filmadas nas comunidades do Complexo do Alemão e Vigário Geral, no Rio de Janeiro.

Para subir o morro, a banda de Di Ferreiro e Gee Rocha contou com o auxílio do AfroReggae, que entrou em contato com as comunidades das favelas para facilitar as filmagens.

Fonte: Virgula Assista ao vídeo.

sábado, 5 de junho de 2010

Ouça a trilha sonora de Eclipse,o novo filme da saga Crepúsculo

0 comentários
Estar na trilha de um dos filmes mais falados e que se tornou uma mania mundial é uma ótima forma de divulgação e além disso, as bandas que compõem a trilha são algumas das mais badaladas da atualidade como: Muse, The Bravery , Florence + The Machine, The Black Keys, The Dead Weather, Beck and Bat For Lashes, Vampire Weekend entre outras. O filme tem sua estreia anunciada para 30 de junho, mas a trilha você já pode ouvir aqui! O disco deverá estar nas lojas reais e virtuais em 8 de junho. O destaque e primeiro single é "Neutron Star Collision (Love is Forever)", interpretado pela banda inglesa Muse. A versão brasileira da trilha conta ainda com a faixa bônus "Eterno pra Você”, escrita e interpretada pelo cantor e ator Fiuk (Malhação) juntamente com sua banda Hori; por sorte, minha versão é a importada!

Clique e ouça direto do Blog do Maia

Nestrovski lança álbum com músicas de Chico Buarque e CD mais ousado

0 comentários
O cantor Celso Sim e o violonista Arthur Nestrovski em espaço interno da Sala São Paulo


Os dois novos CDs de Arthur Nestrovski foram gravados no verão passado. São simultâneos e, de certa forma, complementares.

Em "Chico Violão", ele dá prosseguimento ao que fizera com a obra de Tom Jobim: disseca músicas de Chico Buarque para ressaltar a beleza delas, não transparecendo qualquer virtuosismo do intérprete ou do arranjador.

Já em "Pra que Chorar", acompanha o cantor Celso Sim e é autor ou coautor de nove das 16 faixas. Isto lhe permite ser ousado nos arranjos e elevar o volume de seu violão.

O primeiro, pela própria natureza do projeto, comove menos do que o segundo. Há algo nele de aula de anatomia. Nestrovski põe no osso as melodias de Chico e expõe suas estruturas. São "antiarranjos", como diz.

Desta forma e sem as letras sendo cantadas --embora, não por acaso, constem no encarte--, perde-se em emoção, mas ganha-se em compreensão das canções.

Em "Futuros Amantes", por exemplo, os acordes repetidos no final apontam para o infinito, como pedem os versos. Em "Embebedado", a execução da melodia aponta para um caminhar torto, o equilíbrio difícil.

Pelo menos metade do repertório não é óbvio, opção louvável e, também, compreensível: o Chico mais sofisticado, das duas últimas décadas, é o menos popular, pois as músicas grudam menos no ouvido.

Nestrovski mostra a complexidade de "Romance", "Iracema Voou", "Outra Noite", e assim indica o quanto podem ser cativantes.

Curiosamente, o disco com Celso Sim parece se inscrever numa empreitada contra a ideia do "fim da canção", verbalizada por Chico à Folha em 2004 --José Miguel Wisnik e Luiz Tatit são outros que integram a missão, de certa forma dispensável, pois Chico não quis dizer que as belas canções vão acabar, e sim a hegemonia do formato.

O repertório de alta qualidade vai de três "lieder" (peças clássicas com letras) do século 19 a criações recentes de Nestrovski, passando por canções brasileiras consagradas como "Antonico" (Ismael Silva), "É Doce Morrer no Mar" (Dorival Caymmi/ Jorge Amado) --a mais bela das 16 faixas-- e "As Rosas Não Falam" (Cartola), que ganha acordes fúnebres na introdução e no final.

Além das já conhecidas qualidades de cantor e violonista, o CD exibe engenhosidade conceitual, com um desacalanto "Canção de Não Dormir" polarizando com um "Acalanto", e duas composições de Nestrovski, "Filme Inacabado" e "Retrato de Uma Senhora", fazendo um par de histórias de amor.

E reforça que, em se tratando de canção, a tristeza ainda é a grande matéria-prima da construção da beleza.

PRA QUE CHORAR
Artista: Celso Sim e Arthur Nestrovski
Gravadora: independente
Quanto: R$ 15
Avaliação: bom

CHICO VIOLÃO
Artista: Arthur Nestrovski
Gravadora: Biscoito Fino
Quanto: R$ 34,90
Avaliação: ótimo

Fonte: Folha Online/Ilustrada

O Rio não tem lugar para a bossa nova

0 comentários

Carlos Lyra não olha para trás, mas olha para os lados. Ao lançar CD novo, vê que sua cidade perde muito ao deixar de capitalizar com a música que ele ajudou a inventar.
É difícil não respirar bossa nova ali no n.º 103 da Rua Nascimento Silva. Quatro quadras à esquerda e já se vê o restaurante Garota de Ipanema, com turistas tocando a mesa que sustentava os uísques e as inspirações em guardanapos de Tom Jobim. Alguns metros à direita e lá está a Vinicius de Moraes, rua das placas e esquinas mais fotografadas do Rio de Janeiro. Um dos pais do ritmo vive ali a pensar, com charutos e ideias nada comuns. Carlos Lyra não se prende a datas. Só Minha Namorada, que fez com Vinicius de Moraes, tem 47 anos. Com pavor das correntes que a bossa pode se tornar em seus tornozelos, Lyra finaliza um CD com lundus, marchas, maxixes e outros sons do início do século 19 que fez para o musical Era no Tempo do Rei, baseado em livro de Ruy Castro, ainda sem previsão de estreia em São Paulo. O disco traz 19 inéditas, incluindo a sua primeira parceria com Aldir Blanc (leia ao lado). Lyra recebeu o Estado em seu apartamento, na tal Rua Nascimento Silva que, simbolicamente, como seu morador, fica ali entre a Rua Vinicius de Moraes e os chopes do velho Garota de Ipanema.

Leia íntegra da entrevista ao Estadão Online

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Novo álbum de 50 Cent será inspirado em Marvin Gaye e Curtis Mayfield

0 comentários

O novo álbum de 50 Cent foi inspirado em Marvin Gaye. O rapper revelou que seu disco --cujo título provisório é "Black Magic"-- terá uma "pegada soul" na qual foi influenciada pela lenda da Motown e também pelo cantor norte-americano Curtis Mayfield.

Ele disse: "tem uma pegada soul e é por isso que eu o chamei de 'Black Magic'. Tinha umas coisas inspiradas em Marvin Gaye, outras são como algo que o Curtis Mayfield faria, e as escolhas de como o ritmo dos discos eram como shows que eles faziam no passado. É algo novinho em folha. Se eu não dissesse que foi inspirado neles, você não saberia de onde eu peguei. Eu não falo as mesmas coisas que eles falaram. É a minha perspectiva em cima do que eles ofereceram".

50 Cent, cujo nome verdadeiro é Curtis James Jackson III, admite que sua dramática mudança de estilo aconteceu após voltar de sua última turnê na Europa.

Ele explicou ao site Rap-Up.com: "eu comecei a escrever para o conceito 'Black Magic' antes de partir para a turnê e, desde que voltei, tenho composto em uma direção diferente, então não tenho certeza se será igual ao que eu inicialmente criei. Acabarei pegando o melhor de tudo. Desde que voltei da turnê européia, fui bombardeado com novas produções, muitas boas ideias para as quais eu comecei a compor com um outro conceito".

Fonte: UOL Música

Yoko Ono quer ver Oasis reunido

0 comentários

Em uma sessão de bate-papo com fãs na internet, Yoko Ono revelou que gostaria de ver o Oasis reunido e com discos novos.

"Eu amo o Oasis", disse a artista multimídia, viúva de John Lennon. "A bondade brilha por meio da música deles. Espero que façam mais álbuns."

De acordo com o site do semanário inglês "New Musical Express", a cantora revelou ainda que gostaria de trabalhar com o Flaming Lips. A banda norte-americana regravou a canção de Ono "Cambridge 1969" para o disco tributo "Yes, I'm a Witch", de 2007.

Beady Eye
Enquanto o desejo de Yoko Ono de ver o Oasis reunido não se materializa, o cantor Liam Gallagher seguem trabalhando com sua banda nova, o Beady Eye.

Atualmente o quarteto está gravando material novo no estúdio com o produtor Steve Lillywhite, famoso por suas colaborações com a banda irlandesa U2.

Fonte: UOL Música

McCartney se diz honrado por receber importante prêmio musical

0 comentários

Paul McCartney disse na terça-feira que está honrado por receber um dos mais importantes prêmios musicais dos Estados Unidos, o Prêmio Gershwin da Canção Popular, dado pela Biblioteca do Congresso.

Para marcar a ocasião, um elenco de astros que incluirá Stevie Wonder, os Jonas Brothers, Herbie Hancock e Elvis Costello vai homenagear o ex-Beatle em um concerto na Casa Branca na quarta-feira, presidido pelo presidente Barack Obama.

McCartney é o primeiro não norte-americano a receber o prêmio, que só foi concedido duas vezes até agora: a Paul Simon em 2007 e a Stevie Wonder em 2009.

"É fantástico para mim estar aqui, porque, quando era criancinha, cresci ouvindo a música dos irmãos Gershwin, que eu adorava. E, é claro, eu não fazia ideia de que algum dia poderia estar neste lugar, recebendo uma honra como esta," disse McCartney em coletiva de imprensa em Washington, na terça-feira.

"Se alguém me tivesse dito isso quando eu era menino, em Liverpool, eu jamais teria acreditado. Então isto é muito especial para mim."

O prêmio criado pela Biblioteca do Congresso celebra a carreira musical de McCartney, que abrange cinco décadas, desde sua época dos Beatles até sua atual produção solo.

O nome do prêmio é homenagem à dupla norte-americana de irmãos compositores George e Ira Gershwin, e o prêmio "homenageia músicos cujas carreiras refletem um trabalho vitalício de promoção da canção como veículo de expressão artística e entendimento cultural."

McCartney, que vai completar 68 anos neste mês, também vai cantar no concerto desta quarta-feira, que será transmitido pela televisão em 28 de julho.

Fonte: UOL Música

terça-feira, 1 de junho de 2010

40 anos: A caixa final de Caetano

0 comentários

Com acentuado e estratégico retardo, a Universal lança a quarta e última caixa comemorativa dos 40 anos de carreira discográfica de Caetano Veloso, que, com exceção do compacto com Samba em Paz e Cavaleiro (RCA, 1965), lançou todos os discos por essa gravadora, desde quando era Philips. O último lote de Quarenta Anos Caetanos, com 11 CDs, cobre o período de 1995 a 2007, em que o baiano despertou críticas negativas/divididas (aos álbuns Livro, Noites do Norte e A Foreign Sound) e entusiasmadas (caso do sensacional Eu Não Peço Desculpa, com Jorge Mautner, e de Cê).

Nesse tempo, Caetano, também fez cinco registros de shows ? Fina Estampa ao Vivo, Prenda Minha, Omaggio a Federico e Giulietta, Noites do Norte ao Vivo e Cê ao Vivo. A diferença (e vantagem) desses para outros do gênero, é que os roteiros de seus shows primam pela precisão e pela coerência e têm sempre boas surpresas em repertório, arranjos e interpretações. Diz o pesquisador Rodrigo Faour, autor dos textos do encarte, que "o despretensioso" Prenda Minha é o recorde de vendas da carreira de Caetano.

Raridades. Em relação a todos esses CDs ? já gravados pelo processo digital, ao contrário dos outros da era do LP, remasterizados ? não há novidades. Mas vale lembrar que os mais estimulantes são aqueles em que Caetano se associou a músicos e produtores da nova geração. Eu Não Peço Desculpa foi produzido por Kassin, e Cê, com a coprodução de Moreno Veloso, tem a marca do trio Pedro Sá, Ricardo Dias Gomes e Marcello Callado, que continuou com ele em Zii e Zie, de 2009, não incluído no pacote porque não tinha mesmo de estar.

O chamariz da caixa, como das anteriores, é o CD extra, contendo raridades, algumas reais, outras pressupostas. Essa tem menos ? não há nada que não tenha saído em CD, só é vantajoso porque junta o material espalhado por outros discos, embora Caetano tenha feito muito mais gravações avulsas em projetos alheios.

Intitulada Que De-Lindo (versão de It"s De Lovely, de Cole Porter), a compilação abre com um dueto com Gal Costa em A Luz de Tieta, samba-reggae do longa-metragem Tieta, de Cacá Diegues, e tem outro tema feito para cinema, Ó Paí, ó (com Jauperi).

Há também a rara Machado de Xangô (extraída de um disco de Saul Barbosa) e felizes e/ou inusitados encontros com Margareth Menezes (Vestido de Prata), Olodum (Lua de São Jorge), Alcione (Pedra de Responsa), Negra Li (Meus Telefonemas), Riachão (Vá Morar Com o Diabo), João Donato (O Fundo), Maria Bethânia (O Canto de Dona Sinhá) e Flávio Venturini (Céu de Santo Amaro, adaptação de belíssima melodia de Johann Sebastian Bach). Bom desfecho da história de um período.


Fonte: Estadão Online

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Santana escala Nas, Joe Cocker e Chris Cornell para seu próximo disco

2 comentários
O guitarrista Carlos Santana divulgou a lista de colaboradores para o seu próximo disco dedicado a covers de clássicos do rock. Segundo o site contactmusic, o grupo é formado pelo rapper Nas, os cantores Joe Cocker e Chris Cornell (Audioslave, Soudgarden) e o tecladista Ray Manzarek (The Doors).
Ainda de acordo com o site, Nas vai participar de “Back in black”, do AC DC, Cocker canta “Little wing”, de Jimi Hendrix, e Cornell ataca em “Whole lotta love”, do Led Zeppelin.
Já Manzarek se junta a Santana numa reinterpretação de “Riders on the storm”, do Doors. O guitarrista afirma que a sua versão é “realmente diferente e psicodélica”.
À revista Rolling Stone, o guitarrista afirmou que seu novo disco foi feito para as mulheres: “Eu presto atenção especial para o groove, por isso elas devem ficar excitadas”.

Fonte: G1 Pop & Arte

"Shrek" fatura US$ 43 mi e bate "Sex and the City 2" nos EUA

0 comentários

As audiências dos cinemas norte-americanos neste final de semana estão demonstrando mais apetite por "Shrek" do que por sexo.

A sequência "Shrek Para Sempre" se posicionou como o filme mais assistido pelo segundo final de semana consecutivo, com bilheteria total de US$ 43,3 milhões de sexta-feira (28) a domingo.

A bilheteria doméstica total do filme nos EUA até então é de US$ 133,1 milhões.

Já "Sex and the City 2" ficou em 2º lugar, com bilheteria de US$ 32,1 milhões em sua estreia --e que ficou abaixo da estreia do seu predecessor, cujo faturamento de estreia foi US$ 56,8 milhões há dois anos.

Junto com os US$ 14,2 milhões faturados no primeiro dia de exibição (quinta-feira), o filme já faturou um total de US$ 46,3 milhões.

Em terceiro lugar, ficou o filme "Prince of Persia: The Sands of Time", longa inspirado no clássico game, cuja bilheteria total foi US$ 30,2 milhões.

Fonte: Folha Online/Ilustrada

sábado, 29 de maio de 2010

De Kinks a Wolfmother, G1 lista 15 discos para entender o hard rock

0 comentários
Quando Dave Davies, guitarrista do grupo britânico The Kinks, pegou seu instrumento em 1964 para gravar os três acordes distorcidos e o solo endiabrado de “You really got me”, não imaginava que estava dando à luz um novo estilo musical.
Quase meio século e uma longa lista de bandas depois, o hard rock segue firme como um dos gêneros mais sólidos do rock, seja recrutando novos adeptos por meio da série de videogames "Guitar hero", seja arrastando fãs para shows lotados como o que o Aerosmith promete para este sábado (29) em São Paulo.
Filho direto das bandas mais barulhentas da chamada “invasão inglesa” dos anos 60 e dos grupos de garagem dos EUA da mesma época, o hard rock tem como algumas de suas características os riffs de guitarras eletrificados e pesados com inspirações de blues, os vocais gritados e, em muitos casos, a atitude explicitamente sexual de grupos como o Led Zeppelin, outro pioneiro do gênero. No início, hard rock e heavy metal eram rótulos que se confundiam, mas à medida em que a década de 70 avançou os gêneros foram se diferenciando – enquanto o metal passou a valorizar o peso e a velocidade, o hard rock mantinha sua forte influência blueseira de grupos como o Cream.

Fonte: G1 Música

Maria Gadú - só dá ela

0 comentários
A Som Livre e a Sony-BMG estão para fechar um acordo que envolve a nova sensação da MPB, Maria Gadu.

A Som Livre continuaria a exercer exclusividade sobre os lançamentos de CDs no Brasil, enquanto a Sony-BMG passaria a gerenciar a carreira da cantora em shows – inclusive no exterior -, negociação de patrocínios, venda de merchandising...

A Sony-BMG mudou sua razão social para Day Entertainment justamente para se habilitar a este novo tipo de trabalho.



Fonte: Coluna do Flavio Ricco

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Novo clipe de Ivete Sangalo "Meu Segredo"

0 comentários
Para comemorar seus 38 anos, Ivete Sangalo lança novo clipe com a música "Meu Segredo":



Aerosmith comemora 40 anos de banda em turnê que passa nesta quinta-feira por Porto Alegre

0 comentários

Em uma rápida turnê pelo Brasil, o Aerosmith chega ao país para comemorar os 40 anos de história da banda no show "Cocked, Locked, Ready to Rock!". A primeira parada é em Porto Alegre, na noite desta quinta-feira (27). A banda se despede dos brasileiros no sábado (29) em São Paulo.

Porto Alegre recebe o Aerosmith no estacionamento da Fiergs, com estimativa de 19.200 pessoas para o show. Os portões estarão abertos a partir das 17h. A banda Santo Graau deve subir ao palco às 20h e o Aerosmith às 22h. A censura é 16 anos, mas jovens de 12 a 15 anos podem entrar acompanhados dos pais ou responsáveis legais.

Ainda há ingressos no segundo lote a R$ 140 (pista), R$ 250 (setor premium) e R$ 412 (setor gold) --o setor da arquibancada já está esgotado. As entradas estarão à venda na bilheteria da casa. A apresentação tem aproximadamente 1h40 de duração.

São Paulo
Depois de Porto Alegre, o Aerosmith segue para São Paulo, onde se apresenta no sábado (29) no Palestra Itália, o estádio do time do Palmeiras. Ainda há ingressos à venda por R$ 250 (pista), R$ 300 (camarote) e R$ 500 (pista premium) ---já estão esgotados para os setores arquibancada (R$ 150), cadeiras descobertas e avulsas (R$ 200), cadeira descoberta especial (R$ 220) e cadeira coberta (R$ 300).

As entradas estão à venda pelo site www.ticketsforfun.com.br, pelo telefone 4003-0848 e na bilheteria do Credicard Hall (av. das Nações Unidas, 17.955, Santo Amaro). No dia do show, a bilheteria do Palestra Itália abrirá ao meio-dia para venda de ingressos. Estudantes, idosos, aposentados e professores têm 50% de desconto no valor de qualquer setor.

A estimativa é de que 38.200 pessoas assistam ao último show. Os portões abrem às 16h, e o Cachorro Grande começa a tocar às 19h. O Aerosmith deve subir ao palco às 21h30. A censura é 16 anos, mas jovens de 12 a 15 anos podem entrar acompanhados dos pais ou responsáveis legais.

Com Steven Tyler nos vocais, Joe Perry na guitarra solo, Brad Whitford na guitarra base, Tom Hamilton no baixo e Joey Kramer na bateria, o Aerosmith faz outros shows na América do Sul e, na sequência, parte para a Europa.

Em março, a banda divulgou um vídeo no site oficial anunciando a turnê pela América do Sul. No vídeo em inglês, os músicos afirmam: "É o melhor do Aerosmith chegando para agitar o seu mundo. Nós estamos a caminho de Caracas, Bogotá, Lima, Santiago, Buenos Aires e São Paulo".

Centro das atenções da mídia tanto pelo programa de desintoxicação ao qual se submeteu como pela notícia de que tinha abandonado Aerosmith indefinidamente, o vocalista Steven Tyler diz no site que a banda voltou "a pedidos" e "mais forte do que nunca".


Fonte: UOL Música

Caetano Veloso será atração de festival de Jazz em Copenhague

0 comentários

O músico, cantor e compositor Caetano Veloso e o pianista americano Herbie Hancock serão as principais atrações do Festival de Jazz de Copenhague, que será realizado entre os dias 2 e 11 de julho, informou hoje a organização.

Na lista também figuram Diana Krall, Martha Wainwright, Joe Lovano, Joshua Redman, Marcus Miller, David Samborn, Dianne Reeves, Bill Frisell e Esperanza Spalding.

O festival, que chega a 32ª edição, terá mais de 1 mil concertos em dez dias, muitos ao ar livre e gratuitos, o que o transforma no maior festival de jazz da Escandinávia, assinalou um de seus responsáveis, Christian Dalgas, em uma apresentação para a imprensa estrangeira.

O programa inclui também uma seção específica denominada "latin side", com nomes como o porto-riquenho Eddie Palmieri, o colombiano Edmar Castañeda, a argentina Silvana Deluigi e o cantador espanhol Miguel de Tena.

A presença de músicos brasileiros é habitual no festival de Copenhague, que nos últimos anos incluiu nomes como Gilberto Gil, Milton Nascimento e Hermeto Pascoal.

Fonte: UOL Música

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Capa de CD de Lady Gaga com modelo brasileiro é montagem

0 comentários

A foto em que o modelo catarinense André Ziehe, 27, aparece sem camisa e segurando Lady Gaga no colo em uma suposta capa do single "Alejandro", é uma montagem de uma foto original de David LaChapelle com o cantor Kanye West.

Em entrevista à repórter Janaína Meneghel, publicada pela coluna Mônica Bergamo nesta quarta-feira (26), André disse que não conheceu a cantora e não recebeu nada pelo uso de sua imagem.

"Zero milhões", disse ele sobre o cachê que (não) recebeu. "Nunca a conheci pessoalmente nem muito menos fotografamos juntos", afirmou.

Hoje, novamente ele falou sobre a imagem à reportagem: "Quem está na foto sou eu." Mas Ziehe disse que não foi contatado pela produtora da cantora, para falar dessa suposta capa. "Apesar disso, [a montagem que circula na internet] tem sido bom para minha imagem."

"O que sinto é não ter sido remunerado pelo uso da minha imagem no álbum."

Segundo o modelo, a imagem original dele é de um desfile que fez há um ano para Dolce & Gabbana, em Milão. A reportagem não encontrou a foto original do modelo.

A Folha apurou que a imagem foi feita por um fã chileno que faz montagens com fotos de artistas e publica em seu blog.

No entanto, segundo Juliano, do site Made in Brazil, o primeiro brasileiro a espalhar a notícia, a imagem veio de blogs e sites americanos, que identificaram o modelo.

Fonte: Folha Online/Ilustrada

Trilha sonora de "Glee" tira Justin Bieber do topo da "Billboard"

0 comentários

O terceiro volume da trilha sonora do seriado "Glee" estreou na primeira posição da parada de álbuns da "Billboard". O disco vendeu 136 mil cópias, de acordo com a Nielsen SoundScan.

Outra trilha sonora do seriado, a do episódio especial só com músicas da cantora pop Madonna, também tinha liderado a parada. A trilha tinha vendido 98 mil cópias.

A nova trilha foi batizada de "Showstoppers" e tem músicas da segunda metade da primeira temporada. Em novembro e dezembro, respectivamente, foram lançados os primeiro e o segundo volume.

Outra trilha sonora, com seis faixas, será lançada em 9 de junho, com o subtítulo de "Journey to Regionals".

No segundo lugar da parada, ficou o relançamento do álbum "Exile on Main St.", dos Rolling Stones, que foi relançado recentemente. O álbum vendeu 76 mil cópias.

Fechando o pódio, está o álbum "Brothers", da dupla Black Keys, que vendeu 73 mil cópias.

Na quarta posição ficou o disco "My World 2.0" --que liderava a parada na semana passada--, de Justin Bieber, e em quinto aparece "Distant Relatives", de Damian Marley e Nas.

Fonte: Folha Online/Ilustrada